Belo Horizonte: Urbel e Caixa Econômica Federal realizam reunião com famílias contempladas no Minha Casa, Minha Vida

junho 10, 2013

Fonte: Prefeitura de Belo Horizonte

Cerca de 300 pessoas participaram na última semana, na quadra da Secretaria Municipal de Educação, no bairro Santo Antônio, da reunião da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel) e da Caixa Econômica Federal com famílias que vão morar no Jardim Vitória II e que foram contempladas com apartamentos do programa Minha Casa, Minha Vida. A inauguração está prevista para este mês de junho e o encontro serviu para definir os endereços de 290 famílias que em breve ocuparão os 18 blocos do Residencial Canários.

O Jardim Vitória II, localizado na região Nordeste, é formado por cinco residenciais com 1.470 unidades habitacionais para famílias com renda até R$ 1.600, faixa prioritária de atendimento do programa, além de 480 unidades para pessoas com renda entre R$ 1.600 e R$ 3.275. Para a viabilização do empreendimento houve aporte de R$ 7,35 milhões da Prefeitura de Belo Horizonte, além da implantação de trecho de via de acesso. Os moradores também contam com isenção de impostos e tributos municipais. Segundo o coordenador de Alienação de Imóveis da Caixa Econômica Federal, Hermano Ângelo Melo, nas reuniões anteriores foram definidos os endereços das 880 famílias que irão residir nos residenciais Hibisco, Figueiras e Beija Flor.

Melo explicou que a partir da indicação dos endereços é agendada uma vistoria do apartamento pela família, acompanhada por um funcionário da construtora. “É para ver se está tudo em ordem. Caso haja algum defeito, a empresa tem que providenciar o reparo no prazo de uma semana”, assinalou.

O primeiro nome anunciado ao microfone foi o de Nilton Figueiredo, de 69 anos. Sob aplausos, ele se dirigiu à mesa de trabalho, onde retirou de forma aleatória de dentro de uma urna a tira de papel com número do bloco e do apartamento em que vai residir: bloco 12, apartamento 102. “Estou feliz e satisfeito”, comemorou o aposentado, que mora só em um apartamento no Centro, alugado por R$ 600. Já a vendedora Ludmila Luciana, de 26 anos, não conseguia disfarçar sua emoção. “Minha mãe lutou mais de 13 anos por este momento, mas infelizmente faleceu há dois anos”, disse. Órfã de pai e mãe, Ludmila planeja adequações na moradia e já escolheu a cerâmica do piso para apartamento onde vai morar, o 404 do bloco 14. As próximas reuniões com famílias contempladas no Jardim Vitória II estão agendadas para os dias 11 e 12 de junho, no auditório da Guarda Municipal.
 



Leia também em Belo Horizonte



Comentários estão encerrados.

Next post: